Por que os universitários devem aprender sobre finanças?

Redação Voomp
Colaborador do Voomp
Por que os universitários devem aprender sobre finanças?

Foto: Sempre é importante aprender mais sobre finanças o mais cedo possível.

O conhecimento universitário não lhe permite obter um diploma de ‘pessoa gestora das finanças pessoais nota dez”. Realmente, é muito comum o estudante universitário deixar isso sempre de lado e fazer pouco caso para o aprendizado de como gerir os seus gastos, despesas e investimentos. Além disso, o brasileiro possui uma cultura imediatista e ainda tem um comportamento como se o que importa é o hoje e não o de amanhã. É por esses e outros motivos que responderemos sobre porque os universitários devem aprender sobre finanças?

Atualmente, o número de investidores brasileiros ativos é de cerca de 3,5 milhões. Logo, vem aumentando anualmente, mês a mês. Entre eles, estão milhares de estudantes universitários. Entretanto, estamos falando de um grupo que certamente é uma exceção em meio às milhões de pessoas que frequentam as instituições de ensino superior. Estas, sem qualquer controle ou noção de finanças.  

Onde os jovens brasileiros aprendem sobre finanças e dinheiro?

Segundo site do governo federal, pensologoinvisto, acompanhando a tendência de outros países, a principal fonte de informações dos jovens brasileiros sobre dinheiro é em casa, com os pais e outros responsáveis. Logo, 89,8% dos brasileiros aprendem sobre finanças no ambiente doméstico. As outras fontes foram, em ordem decrescente: Internet (80,6%), televisão ou rádio (61,2%), professores (46,2%), amigos (43%) e revistas (32,1%).

Qual é a relação entre finanças e seu dia a dia na faculdade?

O conhecimento e o entendimento de conceitos financeiros, riscos e as habilidades para lidar com suas próprias finanças deveriam motivar o seu dia a dia em relação a administrar o dinheiro e organizar os seus gastos. Ou seja, realizar as transações financeiras com planejamento e manejo consciente, na prática, supostamente seria algo interessante realizar.

Enfim, aprender sobre finanças é como absorver qualquer outro conhecimento. Contudo, cada conteúdo que você compreender será colocado em prática na sua vida privada imediatamente. Consequentemente, tendo um impacto direto nas coisas que você compra, vende ou diversos tipos de transferências que realiza. 

Neste caso, existem algumas relações que podemos traçar entre finanças e seu dia a dia na faculdade. Principalmente quando falamos em comportamento, atitudes e ações:

Disciplina e organização

Desde o primeiro dia da faculdade até a formatura, é preciso que o universitário desenvolva uma certa disciplina ao longo dos anos. Isso vai ser testado em suas rotinas como estudante, tanto em momentos de teoria quanto em práticas acadêmicas.

O mesmo deve ser feito com as suas finanças pessoais. Seus gastos devem ser disciplinados e consumir descontroladamente é algo muito perigoso. Já que não sabemos o amanhã. 

Mantenha um controle de gastos no celular, computador e até em uma caderneta de papel. Além disso, crie metas ou desafios. Como, por exemplo: guardar ou investir uma quantia “X” em sua conta.

Pensamento estratégico

Qual será a sua próxima ação? Qual será o seu próximo projeto daqui a cinco anos. Você já pensou se aquele bolsa ou aquele emprego não aparecer? Qual será o seu plano B?
Afinal, sempre tenha em mente que é preciso ter planos e objetivos na faculdade e na sua vida financeira também. Sonhos ajudam e motivam, mas planos realizam e concretizam a sua conclusão de curso e na hora de conseguir um emprego. Vale a pena planejar onde depositar seu dinheiro ou como gastá-lo. Pense de maneira estratégica e como suas decisões podem facilitar o seu futuro.

Planejamento a longo prazo

Uma situação muito comum aos estudantes dos cursos de ensino superior é não pensar no dia do amanhã e viver o cotidiano como aquele samba que fala: 

“Deixa a vida me levar, vida leva eu (…)”

Faculdade não é assim, muito menos as suas finanças. Pense sempre à frente e da mesma forma que for estudar para um exame na faculdade. Não faça na véspera. Realize um planejamento a longo prazo. Ainda mais que você não sabe quando precisará de um recurso financeiro para resolver emergências que envolvam a sua vida e dos seus familiares.

Estudo e conhecimento

Na faculdade você tem que estudar para conquistar o objetivo básico ao qual se comprometeu ao ingressar na carreira acadêmica: obter o seu diploma e se capacitar naquela área de atuação. Com as finanças não são diferentes. Do ponto de vista dos seus gastos e investimentos, é preciso entender sobre os tipos de transações, os custos e as taxas, e o porquê de sua existência. Conhecimento em finanças fará uma diferença substancial na sua vida, dentro e fora da faculdade.

Simplesmente, gastar o seu dinheiro de maneira aleatória é algo totalmente sem lógica. Ainda mais se o estudante recebe uma bolsa de estudos ou paga sua própria faculdade.

Lembre-se sempre desta premissa: conhecimento é poder. E nas finanças quanto mais você entende sobre investimentos, rendimentos, ações, aplicações, despesas e receitas, logo ali na frente perceberá que aprender sobre isso foi um bom negócio.

Porque os universitários devem aprender sobre finanças?

Se um dia você tiver interesse em aprender mais sobre finanças na faculdade, saiba que existem instituições de ensino com disciplinas extracurriculares especializadas no assunto. Um perfeito exemplo disso é a Anhanguera e o seu programa Trilhas de Carreira. Nele, você encontra algumas disciplinas complementares ligadas à educação financeira e outros temas semelhantes. Contudo, somente alunos desta e outras instituições podem usufruir das aulas.

Faz parte da educação superior também educar os seus alunos em relação às questões financeiras e às práticas de economia ligadas às suas vidas. Uma pessoa com conhecimento sobre isso acaba tendo mais estabilidade e segurança material e até psicológica. Sem falar que ao entrar no mercado de trabalho, tais conhecimentos serão fundamentais para eventuais exigências dentro do dia a dia da empresa. 

Uma pessoa educada financeiramente e com nível superior é mais que um profissional. É um gestor de sua própria vida privada e profissional. E ainda mais segura de si mesma!

E aí, começará a organizar os seus gastos e começar a aprender mais sobre investimentos? Confira mais assuntos sobre a temática da educação, mercado de trabalho e realização pessoal clicando aqui. Estamos esperando você!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.