Quais as tendências do Direito para o futuro?

Redação Voomp
Colaborador do Voomp

Crédito: Foto de Antoni Shkraba de Pexels

O Direito do futuro pensa na modernização das relações sociais. Afinal, para novos problemas a serem resolvidos na esfera jurídica, precisaremos de profissionais antenados com o que está acontecendo. Assim, se você quer entrar para a advocacia, já fique de olho nas tendências do Direito para o futuro.

E aqui estamos falando não somente da área digital, que terá uma importância enorme nas nossas vidas. Já está tendo, na verdade. Mas áreas como meio ambiente, proteção de dados e auditoria em empresas vão se tornar corriqueiras lá na frente. Assim, aproveite e já saia na frente, estudando essas tendências desde agora.

Como atuar no Direito para o futuro?

Primeiro, vamos pensar na faculdade. O curso de Direito tem cinco anos de duração, e é feito totalmente na forma presencial. Cinco anos podem parecer muito, mas a carga de estudos para o futuro advogado – que vai lidar com o Direito para o futuro – é grande. Ele precisa ter um panorama bastante completo das áreas tradicionais do Direito, como o Civil, Constitucional, Administrativo, Tributário, Trabalhista, Penal, Empresarial, Internacional, entre outros. Fora as disciplinas que falam das partes processuais.

Afinal, o advogado precisa saber como as leis são para poder defender seu cliente, uma causa, ou fazer parte da acusação. Fora toda as possibilidades de trabalho no setor público, como as carreiras na promotoria, defensoria pública, magistratura, entre outros.

Uma vez formado, o advogado já pode pensar no Direito para o futuro. Ele tem uma série de áreas que são tendência hoje – fora as que vão surgir, claro, no futuro. Veremos algumas delas.

Direito Digital

Essa é uma das que já tem um potencial enorme na atualidade. Com a internet e a facilidade de ter todos os dados na palma da mão, é importante saber se defender nos casos de invasão de privacidade. Criminosos digitais conseguem invadir bancos de dados e roubar informações como nome, número de documentos, até dados bancários. Fora os casos de divulgação indevida de fotos privadas.

Assim, o advogado digital pode defender clientes que tiveram sua privacidade invadida. Casos que se tornaram famosos, como o da atriz Carolina Dieckmann, se tornaram leis. O caso da atriz foi a cópia de arquivos pessoais e íntimos, que foram divulgados de forma criminosa. Essa lei, a 12.737/2012, tipifica os crimes digitais, como invasão de dispositivo eletrônico e perturbação no uso de telefone.

Com o uso cada vez maior da internet, o Direito Digital estará, sem dúvidas, entre as portas do Direito para o futuro. O advogado deve estar preparado para responder a este e outros casos que surgirão, sempre pensando na amplitude que a internet terá daqui para a frente.

Direito Ambiental no Direito para o futuro

Essa também é uma área muito promissora. As preocupações com o meio ambiente já tomaram corpo nos últimos anos. Países da Europa e Estados Unidos estão desenvolvendo agendas ambientalistas para minimizar a ação do homem sobre a natureza. Aqui, o advogado presta assessoria jurídica a empresas que vão se instalar em algum lugar que esteja sob proteção ambiental.

O profissional também vai emitir pareceres para organizações que pretendem mudar sua área de atuação e utilizar produtos tóxicos, por exemplo. Conhecendo a legislação ambiental, ele vai poder orientar os empresário sobre qual melhor caminho a seguir. E, claro, defender clientes em caso de infrações ambientais.

Com a crescente preocupação das empresas com o meio ambiente, pensar em Direito Ambiental é pensar no Direito para o futuro, mas principalmente para o presente. Evitar mais catástrofes naturais e trabalhar para a recuperação do ambiente é tarefa do advogado, e também de toda a sociedade.

Lawtechs

O termo é novo – e desconhecido – para a maior parte da população. E não é para menos: ele surgiu na era digital: são startups que oferecem serviços jurídicos de forma digital, para facilitar os processos. Startups são empresas que surgiram para solucionar problemas de forma inovadora, usando a tecnologia. Os aplicativos de transporte são um exemplo disso.

Passando para o lado do Direito, as lawtechs desenvolvem programas para agilizar e organizar os processos de um escritório. Você tem acesso aos processos, andamento jurídico, documentação, tudo em um só lugar. E pode acessar de qualquer lugar. Assim, o advogado nem sempre precisará levar tantos documentos com ele – basta ter a tecnologia com tudo o que ele precisa.

Com a digitalização dos processos jurídicos na esfera dos tribunais, a tendência é que as lawtechs venham para ficar, em mais uma área promissora do Direito para o futuro.

Análise de dados

Falando em documentação, em um processo, muitos documentos são juntados ao caso. São as provas que o cliente ou a acusação têm para fazer seu trabalho. Mas pense que um juiz tem centenas de casos para analisar e dar sua decisão. Assim, já há equipamentos e sistemas de inteligência artificial que conseguem fazer essa pré-análise de forma mais rápida e prática.

Não pense que isso vai eliminar o trabalho do juiz. Essa tecnologia, que já está chegando, veio para facilitar o trabalho do magistrado. Por meio dessa tecnologia, o juiz já terá alguns dados pré-analisados, que vão deixar o trabalho dele mais ágil. Assim, ele poderá tomar uma decisão em menor tempo.

Compliance

A palavra é inglesa, mas o significado é simples: cumprir e fazer cumprir as normas legais em uma empresa. Por exemplo, aquelas que pretendem ser certificadas por órgãos internacionais, como a ISO, por exemplo, precisam ter seus processos e documentos todos em ordem. Antes de ter esse certificado, ela passa por uma auditoria bastante minuciosa, e o advogado de compliance é quem vai orientar a empresa a manter as documentações todas na linha.

Não somente isso: procedimentos de trabalho, contratação de funcionários, elaboração de contratos, tudo passa pelas mãos do advogado especialista em compliance. Afinal, uma empresa com certificação internacional tem mais valor, seus produtos são muito mais bem vistos e largam na frente da concorrência. Esse é um fator que conta pontos para a sobrevivência lá na frente. Por isso, especializar-se em Compliance é pensar no Direito para o futuro.

Gostou deste assunto? Pois fique com a gente e leia mais textos sobre Direito para você pensar na sua carreira e se especializar para o futuro!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.