Saiba tudo sobre o curso de Ciência Política

Redação Voomp
Colaborador do Voomp

Crédito: Imagem: Reprodução / Google

Já pensou em atuar em um dos três poderes: Executivo, Legislativo ou Judiciário? Já ouviu falar no curso de Ciências Políticas e o que se estuda nele? Sabe quais são as diversas áreas de atuação de um graduado? Para te ajudar a obter essas respostas, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre o curso de Ciência Política.

É possível que essa graduação seja a melhor opção pra você – ou alguém que você conheça . Além disso, conhecimento nunca é demais, não é mesmo? Vem com a gente descobrir.

O que é ciência política?

Em primeiro lugar, é fundamental conhecer o conceito de ciência política do Observatório Juventude da Fiocruz. Trata-se, acima de tudo, de uma ciência social dedicada ao estudo dos governos e de outras instituições que detenham poder.

“Com isso, engloba a teoria e a prática de políticas, a análise de sistemas políticos e os comportamentos relacionados”, explicou.

Mas não é só. Segundo o Observatório, a ciência política está intimamente relacionada a outras áreas do conhecimento, como história, economia, antropologia, sociologia, psicologia e direito.

Em resumo, as ciências políticas estudam tudo o que está incutido nas estruturas do poder.

Dessa forma, possuem um papel importante e diferencial na condução das instituições sociais. Isso sem contar a atuação no sistema jurídico e também em ONGs, igrejas, partidos políticos e, também, nos fatores econômicos

Conheça um pouco da história da ciência política

Na Grécia Antiga já se estudava e observava o que chamamos de política. Aliás, podemos atribuir um dos pontapés iniciais dessa ciência a Aristóteles, que se dedicou a compreender e a definir as diferentes formas de governo. 

A partir daí, a política virou uma pauta, e recebeu grande atenção de governantes e das respectivas sociedades. Isso ocorre porque, indiscutivelmente, a política está presente em vários aspectos das relações humanas.

Apesar disso, o termo sobre o qual nos debruçamos neste texto, a Ciência Política propriamente dita, só foi se firmar muito mais tarde. 

Diferente do esboço de seus idealizadores, a Ciência Política reuniu filosofia moral, filosofia política, política econômica e história, por exemplo, para assim compor diversas análises e perspectivas sobre o Estado, sobre o governo e suas funções.

Entenda a origem da disciplina Ciência Política

Para entendermos um pouco sobre o conceito de Ciência Política, é preciso voltar alguns séculos atrás, mais precisamente no século 18.

Isso porque ele se deu durante o Iluminismo, inspirado por pensadores como Maquiavel (autor de O Príncipe), Thomas Hobbes (autor de Leviatã) e John Locke (Dois tratados sobre o governo).

Posteriormente, com a formação dos estados nacionais e a independência das colônias, tornou-se uma disciplina concreta. Aliás, cada vez mais necessária à compreensão dos fenômenos políticos mundiais. 

Já aqui no Brasil, o termo só foi se desenvolver após a segunda metade do século XX. Isso porque, nessa época, surgiram as primeiras análises da estrutura política e também da sociedade.

Um dos maiores nomes da área no Brasil foi Darcy Ribeiro, mas também podemos citar Bolívar Lamounier,  Argelina Cheibub Figueiredo, Marta Arretche, Luiz Bueno e José Álvaro Moisés.

Pouca gente sabe, mas essa ciência só foi oficializada nos anos 1960. O ato teve como suporte a Revista Brasileira de Estudos Políticos, editada pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Como funciona a graduação em Ciências Políticas?

Agora que explicamos como surgiu a Ciência Política, vamos entender como funciona o curso de graduação.

O curso é uma graduação do tipo bacharelado, e tem duração média de 18 semestres, ou seja, 3 anos, podendo chegar até 4 em alguns lugares.

Atualmente, universidades públicas e particulares ofertam o curso, inclusive na modalidade EAD. Por isso, é fundamentar descobrir qual se encaixa melhor na sua rotina!

O que você vai aprender?

Para os estudantes de Humanas, a grade curricular é, sem dúvidas, um grande atrativo. Listamos abaixo algumas das disciplinas:

  • Pensamento Social e Político Brasileiro;
  • Sociologia;
  • Introdução à Ciência Política;
  • Estudo em Segurança Internacional;
  • Antropologia;
  • Estatística;
  • Relações Internacionais;
  • Direito;
  • Estado Moderno e Contemporâneo;
  • Políticas Públicas.
  • Relações Públicas e Internacionais;
  • Política Externa;
  • História Política comparada da América Latina;
  • Comunicação e Linguagem;
  • Associações e Democracia;
  • Teoria da Democracia;
  • Língua Portuguesa;
  • Política Externa Brasileira;
  • Filosofia clássica e contemporânea;

Atenção! As matérias podem variar conforme a instituição, além da ordem em que serão ofertadas nos períodos.

Porém, uma coisa é certa: grande parte do conteúdo transita por estudos antropológicos, sociológicos e jurídicos. embora existam também algumas disciplinas mais técnicas, tais como Estatística e Economia.

Do que você precisa gostar para cursar Ciências Políticas?

Geralmente, essa pergunta costuma soa superficial. E nem sempre define a escolha por um determinado custo.

No entanto,  compreender se nossas habilidades e gostos pessoais combinam com a graduação em questão pode nos ajudar a escolher o melhor caminho seguir.

Pensando nisso, listamos abaixo algumas das características marcantes das pessoas que costumam estudar Ciência Política:

  • Tem gosto pela leitura;
  • Gostar de pesquisar;
  • Sempre teve afinidade com sociologia e filosofia;
  • Tem facilidade em articular opiniões e se dá bem analisando situações de conflito;
  • Tem vontade de atuar na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos;
  • Valoriza a crítica e está sempre disposto a ir além.

Aliás, para atuar na área, é essencial que o profissional possua conhecimentos sobre vários campos do conhecimento. Isso ajudará a ter uma visão ampla e crítica sobre os acontecimentos  Brasil, mas no mundo.

Outra característica importante é ter interesse ou gostar de auxiliar outras pessoas. Isso se dá pelo fato de muitas vagas da área incluírem, entre outros, o desenvolvimento de políticas para assegurar igualdade de direitos.

Quais as áreas de atuação e estágio?

O cientista político irá atuar, principalmente, na analise das instituições políticas e a forma como se comportam.

É esse profissional que analisa fatos históricos e atuais, para assim apresentar alternativas para a tomada de decisões.

Ele também pode trabalhar na definição de projetos e políticas públicas.

Por fim, pode até mesmo dar aulas como professor de sociologia.

Para exemplificar, selecionamos algumas das atividades desenvolvidas por esses profissionais:

  • Atuar em órgãos públicos de diferentes esferas (municipais, estaduais e federais);
  • Trabalhar diretamente com os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário;
  •  Ser figura presente em partidos políticos, sindicatos, institutos de pesquisa, bancos e indústrias;
  • Por fim, pode seguir carreira acadêmica e, entre suas pesquisas, observar políticas públicas e a forma como elas refletem na realidade de um país.

Conheça algumas das são funções do cientista político

  • Participar da elaboração e implementação de políticas e programas públicos;
  • Elaborar documentos técnico-científicos;
  • Participar da gestão territorial e socioambiental;
  • Organizar informações sociais, culturais e políticas;
  • Demonstrar competências pessoais;
  • Realizar estudos e pesquisas sociais, econômicas e políticas;
  • Estudar o patrimônio arqueológico;
  • Avaliar políticas e programas públicos;

Onde o cientista político pode trabalhar?

  • Associações de defesa de direitos sociais
  • Organizações associativas patronais e empresariais
  • Consultoria em gestão empresarial
  • Administração pública em geral
  • Outras atividades de ensino
  • Seleção e agenciamento de mão-de-obra
  • Serviços de assistência social sem alojamento
  • Clubes sociais, esportivos e similares
  • Outras atividades auxiliares dos serviços financeiros
  • Orfanatos

O que essas funções têm a ver com Ciências Sociais?

As atividades e funções do cientista social não param por aí. Esse profissional também pode atuar na diplomacia e relações internacionais, participando, por exemplo, de comitivas oficiais. 

Ele também pode representar seu país junto a outras nações, e até mesmo estar presente na negociação de acordos entre eles.

Isso sem falar no auxílio a representantes brasileiros em viagens internacionais, levando informações que sejam relevantes e ligadas às situações de política externa.

Outra forma de atuar é estar em empresas privadas que mantêm negócios com outros países.

Além disso, na Economia Política, o curso permite que aluno possa entender a influência das ações políticas sociedade na economia, enquanto a Geopolítica ajuda a conduzir ações diplomáticas que possam auxiliar a resolver ou mesmo evitar conflitos entre os países.

Diferença entre ciências sociais e políticas públicas

Esse é um dos ramos mais comuns de atuação para o cientista político.

Resumidamente, trabalhar com políticas públicas envolve orientar e analisar as ações de um governo para solucionar questões sociais.

Na prática, o profissional analisa as políticas de educação, transporte público, habitação e assistência social.

Ciência social e geografia política, qual a relação?

Apesar de o nome parecer similar ao termo Geopolítica, a atuação é diferente.

Neste ramo, o profissional irá analisar, por exemplo, a demarcação de territórios.

Para isso, serão analisadas características físicas, como montanhas, rios, planícies e planaltos de certa região.

Com isso, busca-se procurar novas oportunidades para explorar o potencial político, econômico e social de um local que antes não estava em foco.

O que faz um cientista político nas eleições?

Em se tratando de ciências políticas, as eleições não poderiam ficar de fora.

Em período eleitoral, o profissional da ciência política pode fazer parte da assessoria de políticos e gestores de campanhas no processo eleitoral.

Além disso, pode conduzir e oferecer consultoria sobre pesquisas de opinião e funcionamento de partidos políticos.

Por fim, também pode oferecer apoio na construção de propostas de governo para candidatos.

Mas, afinal, como conquistar um estágio cursando ciências políticas? 

  • Tenha um currículo legível, organizado, e com experiências interessantes, mesmo que não tenham sido empregos formais;
  • Tenha foco em uma área para, assim, não se dispersar em meio a tantos processos seletivos com vagas tão diferentes;
  • Mantenha contato com professores e colegas que possam te orientar e indicar vagas.

Além disso, sites como o LinkedIn, Indeed, Catho e o Sistema Nacional de Estágios podem ser aliados na hora da procura.

Alguns lugares interessantes para se buscar um estágio como cientista político são institutos grandes e associações que trabalham com um grande número de pessoal.

Isso porque é frequente vermos vagas que procuram pessoas na área de Políticas Públicas, Relações Internacionais e Comunicação.

Quanto ganha um cientista político?

O piso salarial de um cientista político ainda é uma questão, digamos, indefinida. Isso porque esses profissionais ainda não possuem um Salário Mínimo Profissional único no Brasil.

Porém, existem estimativas que podemos usar de objeto para análise, como você verá a seguir.

Para os cientistas políticos que atuam na rede pública de ensino, o piso salarial é de R $4624,00. Este valor é proporcional e conforme ao que foi estabelecido pela Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008. Essa lei é aplicável a todos os professores que atuam nas redes municipais, estaduais e federal de ensino. 

Porém, existem mais algumas estimativas sobre salário, que você confere abaixo:

Quanto é o salário médio de um cientista Político?

Um Cientista Politico ganha, em média, R$ 7.820,73. Esse valor é considerado no mercado de trabalho brasileiro. Além disso, se aplica para uma jornada de trabalho que consta de 39 horas semanais.

Esses dados estão de acordo com uma pesquisa do portal Salario.com.br. Ela contou com a contribuição de dados oficiais do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web.

A análise partiu da observação de um total de 45 salários de profissionais admitidos e desligados pelas empresas, no período de Janeiro a Dezembro de 2021.

Geralmente, a faixa salarial do Cientista Politico fica entre R$ 4.773,20, salário mediano da pesquisa. Já o teto salarial é de R$ 21.469,37, sendo que R$ 7.137,90 é a média do piso salarial 2022. Isso advindo de acordos coletivos, levando em conta profissionais em regime CLT de todo o Brasil.

Qual o perfil profissional de um cientista político?

O perfil profissional, ou seja, o tipo de pessoa com contratações mais recorrentes, é o de uma pessoa com 25 anos, formação superior em Ciências Políticas, do sexo feminino e que trabalha 40h semanais em empresas do segmento de Atividades de associações de defesa de direitos sociais.

A cidade com mais ocorrências de contratações e por consequência com mais vagas de emprego para Cientista Político é São Paulo – SP.

Onde posso estudar e quanto custa o curso?

Conforme mencionamos, Ciências Políticas ainda é uma graduação relativamente nova, e muitas instituições ainda não aderiram a essa formação.

Porém, algumas faculdades de prestígio que atualmente oferecem o curso são:

Universidades Públicas

Por meio da nota do Enem aplicada no Sisu ou de vestibulares (como é o caso da UNB), é possível ingressar em uma faculdade federal ou estadual no Brasil. Você pode considerar estudar Ciências Políticas na:

  • Universidade de Brasília (UNB)
  • Universidade Federal do Piauí (UFPI)
  • Universidade federal Fluminense (UFF)
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio)
  • Fundação Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA (UNIPAMPA)
  • Centro Universitário UNIBTA

Atualmente, a maior nota de corte para o curso no SISU é de 676.86, na Unirio.

O valor se aplica à categoria de ampla concorrência, mas os valores podem alterar conforme a ação afirmativa. 

Instituições Privadas

Algumas redes privadas já oferecem o curso, e aceitam diferentes formas de ingresso. Geralmente, os vestibulares são a forma mais comum, mas algumas costumam substituí-los pela nota do Enem para fazer a matrícula.

Além disso, programas do governo como o Fies e o Prouni, por exemplo, oferecem facilidades para estudantes em vulnerabilidade econômica.

Eles usam a nota do Enem, e permitem que os candidatos escolham a instituição privada que querem frequentar, e em qual período.

Dentre os locais que oferecem o curso, estão:

  • Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul) 
  • Universidade Estácio de Sá (Unesa) 
  • Centro Educacional Anhanguera (Anhanguera) 
  • Universidade Norte do Paraná (Unopar) 
  • Universidade Paulista (Unip)

O curso custa a partir de R$141,00 em instituições que trabalham com o EAD.

Porém, não deixe de contatar a secretaria da faculdade pela qual você despertou interesse.

Isso porque os valores podem alterar, além de surgirem promoções ou bolsas.

Pós-Graduação

Um curso de pós-graduação na área pode durar entre um e dois anos, mas isso irá depender da instituição de ensino que oferece a formação.

Durante todo desse período, o profissional  deverá participar de diversas discussões, rodas de debates e seminários voltados a diferentes assuntos que envolvem a política.

Aliás, também costuma ser comum que o curso de pós-graduação exija que o aluno participe ativamente em pesquisas na área.

Algumas instituições que possuem turmas de pós-graduação em ciência política são: 

  • UFMG: A Universidade Federal de Minas Gerais apresenta somente a pós-graduação em Ciência Política, e é uma das maiores referências no país. Inclusive, o departamento da UFMG referente ao estudo da política oferece aos profissionais um grande enfoque nas áreas de pesquisa e investigação.
  • USP: O Departamento de Ciência Política da Universidade de São Paulo tem foco no planejamento e oferecimento de cursos de pós-graduação para profissionais formados em Ciências Sociais e outros cursos da área de Humanas.
  • UFF: A Universidade Federal Fluminense foca em pesquisas sobre Teoria Política, Estado, Economia e Políticas Públicas, Interpretações do Brasil e Política Internacional.

Conclusão

Por fim, podemos concluir que o curso de Ciências Políticas, embora seja relativamente “novo”, possui um potencial enorme.

Em um país tão diverso e movimentado politicamente, muitas análises podem emergir e o cenário de pesquisa possui infinitas possibilidades.

Isso sem contar que a atuação do profissional da área é diversa, rica e útil em diversos segmentos sociais.

Seja trabalhando em um departamento de pessoal ou ocupando cargos públicos, passando por campanhas políticas e pela atuação em sala de aula, o mercado parece cada dia mais receptivo para os formados neste curso.

Por isso, se você está em dúvida e a área te interessou, não deixe de procurar saber mais sobre as possibilidades, ou tentar entrar em contato com alguém que atue na área.

 Ah, e se esse curso é a cara de algum conhecido seu, não deixe de recomendar o artigo!

Quer saber mais? Descubra a importância da Ciência Política e saia na frente.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.7 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.